Seciteci ofertará sete mil vagas gratuitas para 75 cursos profissionalizantes em 2021

Entre os cursos mais procurados, estão os técnicos de: agropecuária, administração, enfermagem, edificação, guia de turismo, operador de computador, programador web e promotor de vendas

técnico em edificações

Para o ano de 2021, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci) vai ofertar pelo menos sete mil novas vagas para cursos de qualificação profissional, aperfeiçoamento e técnico, tanto presenciais quanto na modalidade de ensino a distância (EaD).

Os cursos começam a partir de janeiro de 2021 e os editais com ofertas de vagas serão divulgados ainda neste mês de dezembro.

O secretário Nilton Borgato explica que a Seciteci pretende oferecer mais de 75 opções de cursos em diversas áreas de atuação, com o objetivo de capacitar o maior número de profissionais para o mercado de trabalho, diminuindo as desigualdades sociais e ampliando a geração de emprego e renda no Estado.

“Estamos trabalhando fortemente para conseguir promover parcerias e apoios para ampliar ainda mais o número de vagas. Estas sete mil, conseguiremos executar por meio de recursos estaduais e do governo federal, recursos já garantidos”, explicou.

Segundo o secretário adjunto de Educação Profissional e Superior da Seciteci, Stephano do Carmo, serão formadas 125 novas turmas, sendo 86 presenciais e as demais na modalidade EaD.

“A qualificação prepara os jovens para um futuro melhor, pois abre portas e facilita o ingresso ao mercado de trabalho. Portanto, muitas pessoas serão beneficiadas com esses cursos”, ressaltou.

O superintendente de Educação Profissional e Superior da Seciteci, Aryeh Hessel Craveiro, reforça que estas novas oportunidades foram conquistadas graças ao planejamento educacional e estratégias adotadas pela gestão.

“Nossos esforços se concentraram em organizar um calendário executável dentro das nossas condições, e para isso faremos processos seletivos para contratar professores, além de adaptações dos nossos métodos de ensino para garantir a segurança de alunos e trabalhadores, por conta da pandemia”, disse.

A coordenadora de Educação Profissional e tecnológica da Seciteci, Ana Flavia Derze Soares, explica que, entre os cursos mais procurados, estão os técnicos de: agropecuária, administração, enfermagem, edificação, guia de turismo, operador de computador, programador web e promotor de vendas.

“Nossos cursos são muito concorridos, porque atendem áreas em constante crescimento no Estado. Quanto aos editais, eles serão divulgados à medida que os cursos forem formatados e as vagas disponibilizadas. Para as primeiras turmas, o edital será lançado até o final deste mês, no site da Seciteci”, disse.

técnico em agropecuária

Por Camila Paulino | Seciteci

Formado em curso da Seciteci destaca qualidade do ensino e remuneração acima da média

ETE LRV

“Eu sempre gostei deste ramo de agricultura, tanto que desde a adolescência, eu queria atuar nisso e sou grato a Seciteci por ter me dado a oportunidade de fazer um curso e ter este primeiro contato com o setor. E por causa do curso eu consegui ingressar no mercado de trabalho”. A fala é de Alan Eduardo Avelino Hochmann, de 20 anos, ao se formar no curso técnico de Agropecuária, ofertado pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação de Mato Grosso (Seciteci).

O jovem, que estudou por dois anos na Escola Técnica Estadual (ETE) de Lucas do Rio Verde (330 km de Cuiabá), agora faz faculdade de Agronomia, que deve concluir em 2 anos. Apaixonado pela profissão, ele conta que foi contratado pelo Grupo Smanioto, um dos maiores produtores rurais da região, antes de concluir o curso técnico.

“As fazendas oferecem muitas oportunidades para iniciantes, então é uma área bastante promissora. Agora que me formei assino como técnico agrícola e ganho mais que muitos jovens concursados ou com formação superior, porém eu trabalho bastante, me dedico muito, acordo bem cedo, tenho responsabilidades. E eu estou fazendo faculdade para continuar crescendo na empresa e ganhar ainda mais”, diz.

O secretário da Seciteci, Nilton Borgato, reforça que a principal missão da secretaria está sendo alcançada, pois a maioria dos alunos que concluem os cursos ofertados pela pasta consegue ingressar no mercado de trabalho.

“A ideia é justamente capacitar gratuitamente o maior número de profissionais para o mercado de trabalho, diminuindo as desigualdades sociais e ampliando a geração de emprego e renda no Estado”, afirmou o gestor.

Segundo Adriana Camargo Pereira, coordenadora de Desenvolvimento Educacional da ETE de Lucas do Rio Verde, a ideia é ofertar cursos que vão de encontro com a realidade local, para aumentar o desenvolvimento da região.

“Os cursos vão desde a área administrativa, recursos humanos, contábeis, estética, segurança do trabalho, agronegócio, entre outros, que facilitam ao aluno ingressar no mercado de trabalho. Temos muitas histórias de egressos que já conseguem emprego antes de se formar, ou conquistam uma vaga logo após formados, ou ainda são promovidos na empresa que trabalham, bem como outros que instituem a sua própria empresa, o que mostra que estamos incluindo pessoas com qualidade no mercado de trabalho, diminuindo assim as desigualdades sociais”, disse.

Pesquisas

Segundo pesquisas do Ibope, realizadas a pedido da Confederação Nacional da Indústria, cerca de 72% dos alunos que se formam em cursos técnicos conseguem emprego já no primeiro ano após a conclusão do curso.

Um estudo da empresa de recursos humanos Manpower apontou que 43% das empresas brasileiras têm dificuldade em atrair profissionais qualificados. A maior escassez de mão de obra se concentra nas funções que exigem nível técnico, principalmente nos cargos de produção, operações e manutenção.

Por Camila Paulino | Seciteci – MT